Julgamento do Caso Donizetti Adalto é adiado após renúncia do advogado de Djalma Filho

Motivo do adiamento do julgamento, marcado para a 1ª vara do Tribunal Popular do Júri, foi um pedido do acusado, o ex-vereador e advogado Djalma Filho

Aguardado com expectativa já há mais de duas décadas (23 anos, para ser mais exato), o julgamento do assassinado do jornalista Donizetti Adalto, ocorrido em 19 de setembro de 1998 em Teresina, marcado para a manhã desta segunda-feira (25/10), foi adiado.

E o motivo do adiamento do julgamento, marcado para a 1ª vara do Tribunal Popular do Júri, foi um pedido do acusado, o ex-vereador e advogado Djalma Filho. Segundo ele, seu advogado de defesa na ação renunciou e por isso, sem uma defesa de forma presencia, conseguiu o novo adiamento.Ficou acertado para a próxima sexta-feira, dia 22. Djalma Filho tem até as 23h59 desta segunda para apresentar um novo advogado de defesa. O promotor de Justiça Regis Marinho é quem acompanha o caso pelo MP. Djalma Filho estava com Donizetti no dia da emboscada que o matou e responde pela acusação de homicídio triplamente qualificado. Caso seja condenado, pode pegar até 30 anos de prisão.

Fonte: oitoemeia.com.br

Dê sua opinião:

Voltar para o topo