Inquérito sobre a morte de Firmino Filho é concluído e justiça decreta sigilo

Baretta afirmou que pessoas de outros estados chegaram a ser ouvidas e uma série de exames foram requisitados.

O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) concluiu nesta quinta-feira (06/06) o inquérito que investigava a morte do ex-prefeito Firmino Filho, ocorrida exatamente há um mês.

O relatório tem mais de 500 página e a justiça determinou sigilo, possivelmente a pedido da família. O documento foi encaminhado para análise do Ministério Público do Piauí.

17 pessoas foram ouvidas pelo DHPP durantes as investigações e, segundo o coordenador do departamento, delegado Baretta, todas as informações se harmonizam.

"O que nós podemos falar é que nós temos uma peça muito bem feita, muito bem trabalhada. É um verdadeiro corpo de delito das circunstâncias e da ocorrência daquela morte violenta. Tantos os exames periciais como as oitivas de pessoas, se harmonizam, são coerentes", disse o delegado em entrevista à TV Meio Norte.

Baretta afirmou que pessoas de outros estados chegaram a ser ouvidas e uma série de exames foram requisitados.

"A investigação mostra a realidade, a circunstância, o relatório é objetivo e sem nenhuma bruma, sem suposições, um trabalho muito bem feito, não deixa nenhuma dúvida. Não podemos adentar ao mérito do inquérito policial, porque no decorrer da investigação, o delegado teve que fazer representações por medica cautelar, o que levou o magistrado a decretar sigilo na informação", concluiu o delegado.

Fonte: 180 Graus

Dê sua opinião:

Voltar para o topo