Sensação do 4 de Julho, Chico Bala trabalhava 12h em supermercado e quase desistiu do futebol

Lateral de 27 anos vira febre no Colorado por apelido, futebol e história de vida. Jogador revela origem do seu nome e conta detalhes da vida antes de

Wanderson Ronha Ferreira Porto. Talvez, ao anunciarmos por esse nome, poucas pessoas reconheçam quem é o jogador. Mas se falarmos de Chico Bala, fica mais fácil de conhecê-lo. O atleta de 27 anos, natural de São José de Ribamar, cidade da região metropolitana de São Luís, no Maranhão, ficou conhecido pelo futebol arisco, um apelido curioso e por sua irreverência através de brincadeiras com os colegas de 4 de Julho, seu atual clube, fora das quatro linhas. Contudo, para o lateral-esquerdo, nem sempre a vida foi uma resenha - e ela ganhou uma dose ainda maior de aventura ao encontrar o São Paulo na 3ª fase da Copa do Brasil.

Emprego em supermercado até virar jogador

Antes de iniciar no mundo do futebol, Chico Bala trabalhou como repositor de estoque em uma rede de supermercados. Durante quatro meses, a jornada, que chegou a durar 12 horas por dia, servia como garantia financeira para ajudá-lo nas contas de casa. Nesse período, o futebol não era mais uma prioridade pela falta de chances, mas, no fundo, ele seguia como um sonho para Bala.

- Pensei em desistir porque eu nunca tive empresário. Era sempre difícil conseguir vaga nos times do meu estado. Aí tinha que fazer alguma coisa na vida para ir ganhando meu dinheiro e ajudar meus pais também. Como eu fiz alguns cursos técnicos, eu consegui colocar meu currículo em uma empresa, e eles me chamaram. Lá, eu ganhava um salário mínimo (na rede de supermercados). Às vezes, eu entrava meio-dia, saia meia-noite. Nos finais de semana, eu pegava de 7h da manhã e saia meio-dia. Fiquei por lá durante quatro meses até eu conseguir uma chance no futebol - afirmou Chico Bala.


Peneira e chance no futebol profissional

Durante o período que estava trabalhando no supermercado, Chico Bala ficou sabendo de uma peneira para seleção de atletas que iria ocorrer em sua cidade natal. Ele viu ali a chance de embarcar novamente no mundo do futebol. Chico pediu licença para sua ex-chefe e deu uma guinada na carreira graças à peneira.

Chegada ao Colorado

No 4 de Julho, o atleta ganhou destaque pelo estilo de jogo e pela descontração. Após desembarcar no Colorado, Chico não escondeu a admiração pelo clube por conta da oportunidade de disputar competições nacionais.

Fonte: G1

Dê sua opinião:

Voltar para o topo