2021 terá três superluas, 4 eclipses e chuva de meteoros

.....

.....

Em 2020, tivemos várias chuvas de meteoros, incríveis superluas e uma conjunção entre Júpiter e Saturno, que não acontecia há 500 anos. Este ano não será diferente. Já percebemos isso no dia 3 de janeiro, com a espetacular chuva de meteoros ilustrando nosso magnífico céu.

Eclipses solares, lunares e superluas são alguns dos eventos que fazem parte do calendário astronômico de 2021. Os acontecimentos, que teremos a oportunidade de admirar neste ano, foram divulgados pela agência espacial americana, a Nasa, sob o comando do astrônomo Fred Espenak.


Os eclipses

Ao todo, quatro eclipses acontecerão este ano, no entanto, apenas dois poderão ser vistos aqui, no Brasil. O primeiro, conforme divulgado pela Nasa, acontecerá em maio, no dia 26. Neste dia, iremos observar um eclipse lunar total – quando a sombra da Terra cobre completamente a Lua. O fenômeno em questão será visto melhor nas regiões que estão mais a oeste do Brasil.

Já o segundo, um eclipse lunar parcial, irá ocorrer no final do ano. O fenômeno, que será visto com mais facilidade nas regiões Norte e Nordeste, acontecerá no dia 19 de novembro. Agora, os dois outros eclipses, que serão solares, ou seja, com a Lua passando na frente do Sol, não poderão ser captados por nossos olhos.

O primeiro, que vai ocorrer no dia 10 de junho, só poderá ser observado em alguns países da Europa e da Ásia. O segundo, que será contemplado pelo Chile e a Argentina – e em algumas partes do sul da África do Sul, Austrália e Nova Zelândia e também na Antártida -, se dará no dia 4 de dezembro.


As superluas

Todas as três superluas que irão ocorrer em 2021 poderão ser observadas aqui no Brasil. A primeira ocorrerá no dia 8 de abril, a segunda no dia 26 de maio, juntamente com junto o eclipse total, e a terceira, e última, no dia 24 de junho.

De acordo com a Nasa, as superluas, em comparação a uma lua cheia tradicional, podem aparentar ter um tamanho 15% maior. Conforme os especialistas explicam, a lua amplia seu tamanho porque o satélite encontra-se no perigeu, o ponto de sua órbita considerado o mais próximo da Terra – uma distância total de 363.300 km a partir da superfície terrestre.

Muitos acreditam que as superluas são capazes de desestabilizar o meio ambiente, ocasionando tsunamis e terremotos, mesmo com os cientistas tendo refutado as informações.


Chuva de meteoros

Como dissemos logo no início da matéria, já tivemos uma chuva de meteoros neste ano. Felizmente, 2021 conta ainda com mais outros 10 “temporais celestes”. Em suma, os temporais ocorrem quando a órbita da Terra transpassa uma região demarcada por detritos que são deixados por um cometa. Todos os 10 “temporais celestes” poderão ser vistos em nosso país.

A chuva de meteoro de Líridas, associada ao cometa C/1861 G1, acontecerá na noite dos dias 22 e 23 de abril. Estima-se que nesses dois dias poderemos ver cerca de 15 meteoros por hora. A chuva de meteoros Eta Aquaridas, associada ao grandioso cometa Halley, ocorrerão entre os dias 6 e 7 de maio. O volume de objetos será o dobro em relação a chuva de meteoro de Líridas, com até 30 meteoros por hora.

Entre 28 e 29 de julho, poderemos admirar a chuva de meteoros Delta Aquaridas, associada ao cometa 169P/NEAT. Aqui, são cerca de 25 meteoros por hora. Por fim, as outras chuvas de meteoro ocorrerão em 12 e 13 de agosto; 7 de outubro; 21 e 22 de outubro; 4 e 5 de novembro; 17 e 18 de novembro; 13 e 14 de dezembro; e 21 e 22 de dezembro.

Fonte: Fatos Desconhecidos

Dê sua opinião:

Voltar para o topo